“Utøya” e “22 de Julho”: matou 77 e jurou que faria de novo

Desde a II Guerra Mundial a Noruega não enfrentava tantas mortes de uma só vez quanto em 22 de julho de 2011, quando o ultradireitista Anders Behring Breivik colocou uma bomba em Oslo e então rumou para a Ilha de Utøya, distante quarenta quilômetros, e durante 72 minutos, sem que ninguém pudesse impedi-lo, abriu fogo contra os quase 400 adolescentes que estavam reunidos ali num acampamento de verão do Partido Trabalhista. Na fantasia doentia de Breivik, ele estava assim dando sua contribuição para acabar não só com o governo liberal então no poder, como também com a geração seguinte de Leia tudo…

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!